Vaticano terá mulheres em conselho de Papa pela primeira vez

Pela primeira vez na história do Vaticano, mulheres passarão a fazer parte do conselho do Papa, um importante comitê que norteia decisões do pontífice.

LEIA MAIS:
Endometriose afeta uma em cada 10 mulheres brasileiras
Os preconceitos da Ciência que põem em risco vida de mulheres e negros
GPA cria programa de desenvolvimento para colocar mulheres negras em cargos de liderança

O papa Francisco nomeou nesta quarta-feira (13) três mulheres – duas freiras e uma advogada – para fazer parte do comitê, que sempre foi formado apenas por homens. O conselho é responsável, entre outras funções, por aconselhar o papa na escolha de novos bispos ao redor do mundo.

Papa Francisco durante entrevista à agência Reuters, no Vaticano, no início de julho de 2022, na qual disse que queria dar a mulheres cargos de alto escalão no Vaticano. — Foto: Remo Casilli/Reuters

Quem são as três mulheres nomeadas pelo Papa

As três mulheres nomeadas para o conselho são as freiras Raffaella Petrini – que é atual governadora da Cidade do Vaticano – e Yvonne Reungoat, e a chefe da associação das organizações de mulheres católicas, a advogada Maria Lia Zervino.

Ainda que a nomeação seja um passo histórico para o Vaticano, a maioria dos integrantes da comissão, formada por 14 pessoas no total, segue sendo de homens. Os outros 11 membros são cardiais, bispos e padres de diversas partes do mundo.

No início do mês, o papa Francisco já havia declarado que tinha a intenção de dar mais posições de alto escalão a mulheres dentro do Vaticano. Em 2021, ele nomeou a freira Alessandra Smerilli para ser a número 2 no escritório de desenvolvimento do Vaticano, cargo que trata de temas de justiça e paz no mundo e é também considerado de alto escalão.

O grupo se reúne no Vaticano duas vezes ao mês.

Fonte: G1

Compartilhar: