Temporada de calor: saiba como prevenir o surgimento de manchas na pele

Setembro trouxe a primavera e deu início a temporada das estações mais quentes do ano. E é, justamente nessa época que ficamos mais expostos a radiação solar – que, se feita de forma inadequada, pode ser realmente prejudicial à pele. “A exposição solar desprotegida pode favorecer o aparecimento de melanoses solares, conhecidas popularmente como manchas senis, que são marcas acastanhadas do tamanho de uma lentilha que surgem em locais como mãos, braços, rosto e pescoço. Isso ocorre porque a radiação solar estimula a produção de melanina, pigmento que dá cor à pele, levando assim à formação de manchas”, explica Paola Pomerantzeff, dermatologista e membro da Sociedade Brasileira de Dermatologia.

LEIA MAIS:
Outubro Rosa: um mês inteiro dedicado à saúde da mulher
Quais são direitos das mulheres com câncer de mama?
Mulheres agiram corretamente ao adiar consultas durante pandemia, afirma Inca

Para prevenir o aparecimento dessas manchas, existem medidas simples que podem ser tomadas, como usar diariamente um fotoprotetor. “O uso diário de protetor solar é a única maneira de garantir que a pele esteja realmente protegida dos efeitos nocivos dos raios solares, que estão cada vez mais fortes. Mas é importante que o produto possua, no mínimo, FPS 30 e amplo espectro de proteção solar, para combater a radiação UVA e UVB, além de dever ser reaplicado a cada duas horas”, diz Isabel Piatti, Consultora Executiva em Estética e Inovação Cosmética e conselheira do Comitê Técnico de Inovação da Buona Vita. É recomendado também que se evite a exposição ao sol durante os horários com maior índice de radiação ultravioleta, isto é, entre 10h e 16h.

No entanto, não adianta utilizar um filtro solar que proteja apenas contra a radiação UVA e UVB, afinal, o sol, assim como os dispositivos eletrônicos, também emite luz azul e luz visível. “A luz azul também penetra em nossa pele e aumenta a produção de radicais livres, que geram um processo chamado de oxidação. A oxidação, por sua vez, estimula a produção de melanina, o que favorece o surgimento e o escurecimento das manchas”, afirma o farmacêutico Maurizio Pupo, diretor de Pesquisa e Desenvolvimento da ADA TINA Italy. Por isso, é importante que o fotoprotetor também ofereça proteção contra os malefícios da luz azul, o que pode ser obtido através da escolha de produtos que contenham cor, que age como uma barreira física contra esse tipo de radiação, ou que sejam formulados com ativos antioxidantes, que vão atuar no combate aos danos causados pela luz azul.

  • Protetor Solar Sport FPS 50 Toque Seco, Solst, R$ 69,90
  • Protetor Solar Mat Perfect Fluido com Cor, Avène, R$ 49,90 (veja a resenha)
  • Protetor Solar Anthelios Hydraox FPS 60, La Roche-Posay, R$ 90
  • Protetor Solar Photoderm FPS 50+, Bioderma, R$ 104
  • Gel-Creme Protetor Solar Ensolei Extreme Color, Profuse, R$ 90
  • Skin Defence Brume Visage Multi-Protection, The Body, R$ 149 (veja a resenha)
  • Protetor Solar Facial Stick Incolor Toque Seco FPS70, ADCOS, R$ 135 (veja a resenha)

Cuidados para quem já tem manchas na pele

Se você já possui manchas causadas pelo sol e quer evitar que elas aumentem ou se intensifiquem, saiba que é possível tratar com medidas aplicadas na clínica e em casa. De acordo com  Abdo Salomão, dermatologista membro da Sociedade Brasileira de Dermatologia, na clínica as melanoses também podem ser tratadas com o auxílio da luz intensa pulsada, que possui alta performance no clareamento de manchas, pois atua em diferentes profundidades da pele, sendo capaz de concentrar fótons em comprimentos de onda específicos que agem diretamente na melanina. “É possível ainda associar essas tecnologias ao drug delivery, aplicando diretamente na pele substâncias como o ácido tranexâmico, que age diretamente nos comunicadores celulares responsáveis pela pigmentação, bloqueando assim os processos inflamatórios relacionados a essas manchas”, explica.

Já em casa, além do uso contínuo de protetor solar, o tratamento pode ser feito através da combinação de ativos tópicos e orais. “No tratamento tópico, além do uso de ingredientes despigmentantes e ativos antioxidantes, capazes de neutralizar a ação do calor e melhorar a proteção biológica da pele. Além disso, vale inclui na rotina de beleza substâncias capazes de estimular a renovação celular. Já no caso dos ativos orais é interessante utilizar ingredientes que atuem na diminuição da inflamação da pele”, explica a farmacêutica Mika Yamaguchi, diretora científica da Biotec Dermocosméticos.

  • Derma Complex Concentrado Vitamina C 20, ADCOS, R$ 119 (veja a resenha)
  • Sérum Clareador Anti-idade Clarité Ag+ Peel, Dermage, R$ 209,90
  • Bruma Restauradora Energizante, Quintal, R$ 89
  • Sérum Facial Cellular Filler, Nivea R$ 84,99
  • Protetor Solar Ada Tina Normalize Hydra Comfort FPS90, Ada Tina Italy, R$ 109,90
  • Sérum Anti-Idade Salicyli C10, La Roche-Posay, R$ 239,90
  • Sérum Anti Fadiga Capture Youth Glow Booster, Dior, R$ 499
  • White Lucent Overnight Mask & Cream, Shiseido, R$ 549

Porém, é importante ressaltar que cada princípio ativo tem características e propriedades específicas. Logo, o ideal é que, ao notar a presença de manchas, você consulte um dermatologista. “Apenas ele poderá realizar um diagnóstico de sua pele e indicar o melhor tratamento para o seu caso, evitando assim uma possível piora do quadro”, finaliza a Paola Pomerantzeff.

Via: Marie Claire

Compartilhar: