Quem são as mulheres que poderão receber auxílio vitalício de R$ 1.200

A Comissão dos Direitos da Mulher aprovou o Projeto de Lei 2099/20, que prevê o pagamento do auxílio permanente de R$ 1.200 mensais. Esse benefício é destinado às mulheres provedoras de famílias monoparentais.

LEIA MAIS:
Pesquisa nacional mapeia violência política contra mulheres
Facebook é mais tóxico para mulheres na política do que para homens, aponta relatório
Pandemia foi um grito de alerta para mulheres que não investiam

As mulheres chefes de famílias monoparentais irão receber um auxílio vitalício de R$ 1.200. É considerada uma família monoparental aquela chefiada por mulher sem cônjuge ou companheiro, com pelo menos uma pessoa menor de 18 anos.

Requisitos para o auxílio

De acordo com o Projeto de Lei 2099/20, aprovado pela Comissão dos Direitos da Mulher, a beneficiária deve cumprir alguns requisitos. O foco são as famílias mais vulneráveis, portanto, as exigências são:

  • Ter mais de 18 anos,
  • Não ter emprego formal ativo;
  • Não ser titular de benefício previdenciário ou assistencial;
  • Ter renda familiar mensal per capita de até 1/2 salário-mínimo; ou
  • Ter renda familiar mensal total de até 3 salários mínimos.

O Projeto de Lei 2099/20 é do ex-deputado Assis Carvalho (PI) e recebeu parecer favorável da relatora deputada Erika Kokay (PT-DF). Ela apenas acrescentou uma emenda para que o auxílio seja reajustado todos os anos, de acordo com o INPC (Índice Nacional de Preços ao Consumidor).

Em defesa do texto, a deputada Kokay afirmou que, diante da pandemia, muitas famílias tiveram queda na renda. Diante disso, é necessário que haja uma política permanente de amparo às mulheres e seus dependentes. A situação é ainda mais urgente nos casos de mulheres provedoras de famílias monoparentais.

“Para as mulheres provedoras de famílias monoparentais, a situação é ainda mais dramática, pois, em muitos casos, não contam com o apoio por parte dos pais de seus filhos e ainda assim devem sozinhas sustentar seus lares”, disse a deputada.

Após aprovação e regulamentação pelo Poder Executivo, a lei deve publicada em até três meses. Atualmente, o projeto tramita em caráter conclusivo e ainda será analisado pelas comissões Seguridade Social e Família; Finanças e Tributação; e Constituição e Justiça e de Cidadania.

O auxílio de R$ 1.200 deve ser pago pelos bancos públicos federais. Dessa maneira, as instituições serão responsáveis pela operacionalidade do benefício. O pagamento poderá ser feito por meio de conta do tipo poupança social digital.

Essas contas são abertas de forma automática em nome dos beneficiários e sem cobrança de tarifas para a manutenção. O mesmo aconteceu para o pagamento do auxílio emergencial no ano passado.

Fonte: FDR

Compartilhar: